4 de fev de 2007

A terra somos nós

Países pedem uma organização da ONU para o meio ambienteConferência divulgou um chamado para a mobilização contra a crise ecológica
Mais de 40 países apóiam a criação de uma organização das Nações Unidas para o Meio Ambiente, proposta na conferência internacional Cidadãos da Terra, que terminou hoje em Paris com um chamado ao combate contra a degradação do planeta.
– Hoje, sabemos que a humanidade está destruindo, a uma velocidade aterrorizadora, os recursos e equilíbrios que permitiram seu desenvolvimento e que determinam seu futuro – diz o Chamado de Paris, lido no fim da conferência pelo anfitrião do encontro, o presidente da França, Jacques Chirac.
O texto promove a transformação do atual Programa da ONU para o Meio Ambiente numa agência similar à Organização Mundial da Saúde (OMS), que seja uma voz forte, reconhecida no mundo, e permita a avaliação dos danos ecológicos e a atenuação destes. Entre os países que apóiam a criação do órgão estão a maioria dos europeus e outras 20 nações da África, da Ásia e da América Latina.
A declaração é um chamado para uma grande mobilização internacional contra a crise ecológica e em prol de um crescimento que respeite o meio ambiente. De acordo com o texto, o futuro do planeta está em jogo, e a sobrevivência de toda a humanidade está em perigo.
– Chegou o momento de sermos lúcidos. De reconhecer que chegamos ao limite do irreversível, do irreparável – acrescenta.
O texto salienta que a preocupação com o meio ambiente deve estar no centro das decisões e das iniciativas dos signatários, que se comprometem a adotar medidas indispensáveis para afastar os perigos, em particular a mudança climática. A gravidade do tema ficou clara ontem, em Paris, com a divulgação do último relatório do Grupo Intergovernamental sobre a Evolução do Clima.
O documento de hoje destaca, ainda, a importância da adoção de uma Declaração Universal dos Direitos e Deveres Ambientais, que garanta um novo direito humano, o de um ambiente saudável e preservado. Além disso, rejeita o modelo econômico baseado no desperdício desenfreado de recursos naturais e na poluição, e pede sua substituição por outro que esteja a serviço do desenvolvimento sustentável e da luta contra a pobreza.
Neste sentido, a declaração convida os países ricos, emergentes e menos avançados a compartilharem esforços no desenvolvimento de mecanismos de financiamento inovadores que ajudem os países mais pobres a se adaptarem.
Conforme o Chamado, mais de 40 países já formam o grupo pioneiro para a criação de uma agência da ONU para o Meio Ambiente.