20 de nov de 2008

Humanização da Prostituição

Interessante ideia do Governo Britânico de proibir "buscar" prostitutas nas ruas de dentro do autómovel. Agora a Lei permitira essa escolha se for feita á pé. Civilizadamente. Humanamente.
Afinal, regras de comportamento longamente detalhadas no "Manual do Cavalheiro Galante" escrito na França de Luiz XIV, de autoria desconhecida, sempre revelavam a necessidade do assédio acontecer 'as claras. Sem máscaras, perucas ou carruagens. Segundo se sabe, os livros e relatos orais de então, nunca deixaram transparecer nenhum incomodo para a negociação. Pelo contrário. Foi tão aceito que a corte, tão severa em relação a esses costumes bárbaros, passou a adota-lo em seus corredores e salões palacianos. Dai para as tabernas, ruas e estradas foi um passo.
O mundo reconheceu e nos mais civilizados recantos, isso virou regra.
Mas a época do Manual, parece ter acabado. Ou quem sabe não foram mais editadas. O fato é que nas ruas, dificilmente se assiste ( existem honrosas excessões) a esse momento "flertivo", que comandava a combinação.
A tecnologia, o automóvel, o óculos escuro, a pressa e a insensibilidade, acabaram transformando o envolvimento, num ato de compra e venda frio e asséptico. Avança em alguns lugares a ponto de ocorrer via internet, ou celular.
A relação dai decorrente, acaba também transformando-se numa troca inusitada de gestos e gritos absolutamente artificial e temporizada.
O tempo da olhada, da caminhada ao lado, da entrada e da saída( seja onde for) parece que foi destinada apenas a leitura daquele manual.
Talvez no Reino Unido, alguns dedicados praticantes desse ritual obscuro, estejam , sendo convocados pelo novo Primeiro Ministro para em nome de uma antiga ordem, retomar nas antigas vielas, grandes avenidas e calçadas de praças e parques, aquele velho e salutar modelo de respeito aos mais racionais e deliciosos impulsos e desejos da raça humana. o sexo com prazer